24 fevereiro 2013

Nobody said it was easy, no one ever said it would be this hard...

Sexta-feira foi um dia de certa “provação” para o meu objetivo. Vou explicar... Passei por uma situação que me fez refletir um pouco sobre os passos que estou dando nesse novo estilo de vida. A situação foi na minha casa porque meus familiares de modo displicente pediram pizza a noite.

Os familiares se constituem em meus pais e minha irmã. Quando cheguei em casa da academia na sexta e estava me alimentando com o Dan, eis que chega: uma pizza. Fiquei super brava. Muito mesmo. Quis sair dali de casa no mesmo instante. Meu ódio pela situação foi muito grande. Agora vocês vão pensar “mas quem precisa é você Juliana, porque sua família não pode comer coisas diferentes de você?”; Eu respondo: Meu pai é hipertenso e diabético, já bastam as besteiras que ele come fora de casa, porque come no trabalho e adooora um whisky não muito moderadamente. Minha mãe é toda problemática da saúde com comidas que não pode e também quer emagrecer. Minha irmã tem problemas com comidas também, mas seria a que mais poderia comer, mas eu sou totalmente contra fazer isso porque ela podia pedir em um dia em que não estou em casa ou sair com os amigos para comer fora; Sim, eu me revolto com esse tipo de situação não só porque “eu não posso”, e sim porque nem eles mesmos deveriam. Porém cada um sabe o que quer para si.

A única coisa que eu pedi pra todos ao iniciar todo o meu processo de mudança foi que não me atrapalhassem. Mesmo assim já tive situações chatas do tipo minha irmã decidir usar o carro na hora da minha hidroginástica e não ter os meus alimentos para comer nem ingredientes para preparar algo para comer dentro da minha dieta. Agora eu tenho evitado sair durante a semana justamente para não ficar passando vontades desnecessárias, deixo até de ir para eventos e comemorações, e o que fazem? Trazem besteiras para dentro da minha casa. Fiquei super aborrecida achei o maior absurdo. No mesmo dia havia falado para minha mãe que no sábado podia comer qualquer coisa (eu e o namorado fazemos o dia do lixo onde tiramos o dia para não contar calorias e comer algo mais livre, sem abusos), disse para ela que era de boa a alimentação nesse dia. Podiam ter esperado mais um dia para pedir a tal pizza, porque nem estaria em casa mesmo! Já havia combinado de sair no sábado com o namorado. Grrr! Foi raiva total. Tranquei-me no quarto até a raiva melhorar.

A grande questão em tudo isso não é nem a vontade de comer. Não sei se foi o efeito pós-treino ou outra coisa, mas não senti aquela vontade gigante de comer pizza. O que me aborreceu mesmo foi a falta de preocupação deles com os meus sentimentos. Digo isso porque todos ali ficam preocupados com a minha saúde e SEMPRE falaram para emagrecer, falaram milhares de coisas, principalmente minha mãe. Um dia conto mais sobre isso, mas na hora que seria para eles mostrarem que estão comigo e felizes pela minha mudança o que fazem? Ignoram. Nem se preocupam se vou sofrer por não poder comer ou acabar comendo. Decidem fazer a vontade da minha irmã despreocupada com meus sentimentos.

O problema das pessoas é achar que o obeso come só porque ele quer e podemos parar assim do nada. Acham que é falta de vontade e determinação se não fazemos isso. NÃO É! Podemos sim parar “do nada”, mas o processo de mudança, no inicio pelo menos, é um pouco sofrido, mas válido, claro. Só quem é obeso consegue entender com clareza disso que estou comentando. Envolve compulsão até outros tipos de problemas. Cada caso é um. É difícil para todos. Entretanto não é impossível e com apoio sempre fica melhor! E é justamente disso que estou falando, a falta de apoio da minha família em certos momentos. Minha mãe me apoia comprando meus alimentos que peço e falando para Dona Conceição fazer do jeito que estou pedindo, maaas não basta só isso, né?!

É como eu disse no twitter no dia: É fácil para as pessoas torcerem. Mas lutar com você, não é para qualquer um. Por sorte existe um alguém que decidiu lutar comigo. Depois passou toda a raiva. É assim mesmo. Quando a irmã voltar para São Paulo vai ser mais fácil de controlar esses momentos desagradáveis, porque aí não vão querer ficar mimando ninguém. Até voltar já estou blindada para esse tipo de situação.

Enfim, resolvi compartilhar isso porque foi algo que mexeu muito comigo e sei que tem muita gente que passa por situações bem chatas na própria casa quando o assunto é alimentação e você precisa ser o diferente, mesmo sendo certo. O que importa é seguir firme no objetivo. Ninguém disse que seria fácil. Vale a pena. Isso que importa!

A frase do título é dessa música, linda <3 Gosto de algumas músicas do Coldplay =)

Bom resto do domingo!

7 comentários:

GAUCHA TRI LEGAL! disse...

Eu entendo tudinho o que escreveu. A boicotacao e geral para todos nos, infelizmente. O povo nao ta nem ai para nossos sofrimentos. Essa e a verdade mais dolorida.

Nat Viegas disse...

Essa é uma cena que se repete cotidianamente aqui em casa. Moro com meu pai e uma irmã e eles sempre pedem pizza ou fazem pastel em casa. Às vezes é complicado de resistir e fico pensando como seria mais fácil se resistir se NÃO TIVESSE ESSA COMIDA EM CASA :). Eu sempre peço para que, se forem fazer essas comidas, façam só com carne (pois sou vegetariana)... mas as vezes eles insistem em fazer pastel de queijo ou pedir uma pizza sem carne! GRRRRR! Mas enfim, é a escolha deles comer isso. EU quero ser mais saudável, EU não me sinto feliz estando acima do peso. Eles deveriam fazer o mesmo. Concordo que às vezes acho que é falta de consideração da parte deles, mas eu nunca pedi o apoio de ninguém, portanto, não posso exigir. Adorei a frase que tu postou "é fácil as pessoas torcerem...", porque é bem isso. Tem dias que precisamos ser muito fortes.

beijo!!

Engenheira Dietética disse...

Comentando por partes, pq é muito assunto... kkk

Primeiro, respondendo... moro sozinha, e vc me deu uma idéia, amanhã posto fotos do meu lar!

Em relação a sua família e a tal pizza... vou discordar de vc, em partes... acho que eles podiam ajudar a vc, não pedindo pizza... mas vamos lá... isso nem sempre vai acontecer e vc tem q aceitar essa realidade... quem tem um distúrbio (e nós temos um distúrbio, pois não chegamos ao peso excessivo pq achamos lindo) tem q conviver com um mundo inteiro que não tem o distúrbio...

Imagina um alcoolatra.. é propaganda de cerveja geladinha, cerveja em todo lugar, festas em família, amigos chamando... eu já trabalhei em uma fábrica de cerveja e ODEIO o sabor... mas às vezes o apelo para a refrescância, o entusiasmo dos demais era tão forte que eu até sentia que podia ser algo refrescante, gostoso... mas assim que tocava a boca (fora da fábrica, claro) me deparava com a realidade: era uma merda para o meu paladar. O mundo não vai parar de consumir o alcool pq fulano de tal é alcoolatra... é certo o apelo? Não. É certo a omissão das cervejarias e do governo para a doença? Não. A venda de cerveja (incluindo o marketing) podia ser mais regulado como o do cigarro? Sim, deveria!! Mas se o alcoolatra for esperar por isso, vai morrer... ele tem que cuidar do problema dele para não morrer e viver num mundo onde boa parte bebe, mas não tem a doença como ele...

Assim como a gente tem que entender que se uma pizza entra na boca do outro, é responsabilidade do outro... a que interessa a gente é a que entra na boca da gente.

Mas eu sei que também entra aí dois sentimentos... a preocupação com a saúde dos demais familiares e a vontade de confraternizar com eles... então pensei em duas soluções...

Tentar negociar com a "galera" pedir pizza com menos frequencia e aí vc pode participar (comendo uma fatia apenas)

Ou, ofereça-se para fazer pizza caseira... compra os discos, coloca molho pomarola (ou faz o molho de tomate com cebola) e quantidade de queijo controlada... na sua parte, coloca atum, peito de peru cortadinho em tiras, frango grelhado desfiado... vc vai ver que fazendo as contas, não é tão calórico assim... Gosta de um recheio "abusadinho", "molhadinho"? com maionese, catupiry, calabresa? escolha uma coisa só, grelhe bem a calabresa (pique miudinho que rende) e troque o disco de massa por um disco de tortilha (rap 10)... vamos lá... 90kcal do rap 10 + 2 fatias de mussarela 90kcal + molho de tomate + orégano + uma carne magra (atum, frango), desfiada... humm... fica showww sem passar das 300kcal... o orégano dá o toque final e vc não vai se sentir excluída da rodinha da pizza!!

Gi disse...

Oiee linda nossa entendo totalmente sua situação e mesmo uma barra, eu quando comecei minha caminhada aff foi muito dificil meu marido me sabotava o tempo todo eu sei que a gente tem que ser forte ter forca de vontade mais precisamos muito da ajuda de quem esta a nossa volta. Mais que bom que a raiva já passou bola pra frente. E to com você forca uma linda semana e muitos bons resultados.

Emanuelle disse...

oie linda, obrigada pelo recadinho!!!
Sei como se sente, ja passei isso por varias vezes antes de casar e agora que sou casada tbm, pq marido nao come nada light, verdura, frutas, saladas ou seja tenho cozinhar pra mim e pra ele, e passar vontade, mais agente acaba aprendendo e vendo bons resultados, vale a pena!!!! fica firme
bjbj

Simples Assim disse...

Entendi ...
parecem não se preocupar com você e muito menos com eles né =/

Que coisa, mas cuide de si e deixa eles pra lá, não muito lá, mas deixe!

Bjs

Ana C. disse...

Ju, quando a gente dorme o corpo entra em outro ritmo e o metabolismo desacelera. Se você não enviar pro seu corpo o sinal de que já acordou, ele continua achando que você está dormindo, logo, continua funcionando em ritmo lento.
É por isso que é tão importante comer algo assim que você acorda, mesmo que seja pouco.
;)